ABAGA

abaga

Associação Brasileira da Alta Gastronomia – ABAGA

Trabalhando em prol da cozinha do Brasil e dos seus profissionais

Ao longo de seus 14 anos de existência, a ABAGA trabalhou muito e, das inúmeras pequenas e algumas grandes vitórias conquistadas com muito empenho, garra e determinação, levou o Brasil, nossos profissionais, a cozinha brasileira e seus ingredientes aos mais prestigiados eventos gastronômicos do mundo, desvendando-a como apta a agradar aos paladares mais sofisticados. Orgulhosa da categoria que representa, a ABAGA jamais se furtou a apoiar qualquer manifestação que contribuísse a seus intentos, das mais simples às mais gloriosas, atuando sempre com o mesmo interesse e dedicação. Construindo os “bastidores” da gastronomia profissional do Brasil, teve fundamental importância na criação dos cursos superiores de gastronomia por todo o País, na elaboração dos critérios de certificação profissional, na luta pela regulamentação da profissão ainda em andamento na Câmara Federal, na elevação do patamar de qualidade dos ingredientes, produtos, utensílios e equipamentos comercializados por aqui, e na gestação de uma cultura gastronômica brasileira que ora se desenvolve. Atuando politicamente, também, no cenário internacional, em 2000, a ABAGA conseguiu ser aceita como membro da WACS – World Association of Cooks Societies (Federação Mundial das Associações de Cozinheiros), a mais alta instância representativa da categoria. Em 2004, outro importante passo é dado para ampliar os horizontes da gastronomia brasileira com a eleição do presidente da ABAGA, chef Jorge Monti de Valsassina, para a Diretoria Continental das Wacs nas Américas, tornando-se o personagem principal da estrutura da Entidade em todo o continente americano. Seu brilhante desempenho, ancorado pelo amadurecimento dos profissionais e do setor como um todo no Brasil, garantiram-lhe a reeleição em 2006, com mandato que se estende até 2010. Nos últimos anos, praticamente, nada aconteceu na área gastronômica brasileira sem a participação da ABAGA ou de algum de seus chefs associados. De tudo, são os concursos gastronômicos nacionais e internacionais que geram a maior projeção. Sem preconceitos, apoiou de simples embates em escolas de gastronomia ao ápice dos concursos nacionais – o Chef Talento Sadia e Nestlé Toque d’Or – que coordenou e levou por todo o País. Descobrindo talentos, desenvolvendo aptidões e conquistando o apoio dos empresários, empresas e entidades do segmento, continua promovendo e participando de certames do Oiapoque ao Chuí. Em 2003, aconteceu a primeira grande vitória brasileira no exterior, no Gran Concurso Culinário LatinoAmericano Azteca, que reuniu os principais chefs da América Latina na Cidade do México. Essa vitória serviu de estímulo ao mercado como um todo, que passou a se empenhar ainda mais na busca de melhores resultados. E eles vieram, comprovando, que o aperfeiçoamento do cozinheiro vem da prática incessante: em 2006, o Brasil foi, de uma só vez, Vice Campeão do Mundo na Islândia, Campeão Panamericano de Escolas de Gastronomia no Uruguai e Campeão Iberoamericano na Espanha. Em 2007, aconteceram aqui, pela primeira vez, as classificatórias nacionais de dois importantes concursos internacionais – o Global Chef e o Concurso Azteca, cujos vencedores, meses depois, conquistaram, respectivamente, o quarto lugar na final do Concurso nos Estados Unidos, e o terceiro lugar na final do Concurso no México, garantindo, também, a vaga para o Bocuse d’Or 2009, em Lyon, na França, no qual o Brasil já concorre desde 1995. Em setembro de 2008, vivemos um dos mais marcantes momentos da gastronomia nacional com a conquista do primeiro lugar no Gran Concurso Maya Latinoamericano de Repostería – a “Copa Maya”, o que, por si só, já é importantíssimo, pois fez da Confeitaria brasileira a melhor da América Latina. Mas, de fato, essa conquista teve uma relevância ainda maior, porque trouxe junto com ela a vaga inédita para participarmos da Coupe du Monde de la Pâtisserie 2009, competindo com a “crème de la crème” da categoria no mundo. Assim, em janeiro de 2009, quando o Brasil se apresentou nos dois mais prestigiados concursos gastronômicos do planeta, o Bocuse d’Or e a Coupe du Monde de la Pâtisserie, concretizou-se não apenas o sonho de todos que lutaram para chegar até aqui, mas, sobretudo, esse momento histórico marcou a consagração definitiva e irreversível da gastronomia brasileira e de seus profissionais no cenário internacional, ampliando geometricamente os nossos horizontes. De lá pra cá, a ABAGA segue no seu trabalho árduo de desenvolver e prestigiar a gastronomia brasileira e os seus profissionais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s